SIM Consultores

No mês de setembro, a SIM Consultores realizou em parceria com a APEVI (Associação das Micro, Pequenas Empresas e do Empreendedor Individual do Vale do Itapocú), em Jaraguá do Sul, o curso de Maturidade Emocional.

 Aplicamos uma ferramenta de assessment que analisa a maturidade emocional das pessoas. O objetivo deste mapeamento é a contribuição para a elevação do nível de maturidade do avaliado, para que ele consiga trabalhar melhor no seu dia a dia os desafios e dificuldades existentes.

Participaram do curso 16 pessoas de diversas empresas da região. O índice de aprovação do curso ficou em 85%. Os participantes gostaram muito do conteúdo, da forma como foi tratado o tema e conduzido o curso!

 

 

 Objetivo:

O programa tem o objetivo identificar e desenvolver os comportamentos essenciais do líder, através da prática de atividades, dinâmicas vivenciais e do uso de ferramentas que permitam diagnosticar e propor ações de desenvolvimento, com o uso de planos de ação e execução intermódulos.

 Módulos:

27/09: Módulo I – Competência Interpessoal para o relacionamento – 8 horas

25/10: Módulo II – A importância da Comunicação e do Feedback -  8 horas

22/11: Módulo III – Liderança Pedagógica –8 horas

13/12: Módulo IV – Desenvolvimento de equipes – 8 horas

17/01: Módulo V – Delegação e Conflito – 8 horas

 Carga Horária:

40 horas – 5 encontros de 8 horas aos sábados.

Será realizado na cidade de Joinville (Hotel Alven).

 Metodologia:

Vivencial e teórica

 Atividades:

Palestras

Reflexões individuais

Discussões em grupo

Atividades artísticas

Dinâmicas

Aplicação de inventários

Trabalho intermódulos (plano de ação)

 Clientes atendidos:

WEG, Salfer

 Investimento

R$ 1.560,00/ por participante

 Consultores:

- Sandra EGF Bergamo: Trabalha com Coaching e Desenvolvimento de Lideres Coachs, Facilita o Processo de Mudança e Desenvolvimento Organizacional baseado  na forma de comunicar com clareza e transparência, qual o caminho, os papeis, as responsabilidades. Acredita que tudo tem um tempo certo para ser feito e uma forma que facilita o trabalho. Modelagem organizacional e funções estratégicas. Formada em Coaching pelo ICI e reconhecida pelo ICF, certificação em instrumentos de avaliação de Perfil Comportamental. Possui a formação como Líder Facilitador e Aprofundamento pela Adigo Consultores. Aconselhadora Biográfica reconhecida pela Associação Biográfica Brasileira.  Mestre em Administração ESAG/UDESC, MBA em Administração, Pós-graduada em Dinâmicas dos Grupos e Recursos Humanos. Bacharel em Administração de Empresas.

- Isabel Florêncio: Especializada em Gestão Estratégica de Pessoas pela PUC-PR, formação em Líder facilitador e Consultor interno pela Adigo Consultores e Bacharel em Administração pela Univille. Experiência de 10 anos em Recursos Humanos. Atuou como coordenadora de Recursos Humanos em empresa de serviços de grande porte. Possui a formação como Líder Facilitador pela Adigo Consultores. Pós-graduada em Gestão Estratégica de Pessoas.

 Contato e inscrições:  

Isabel Florencio – (47) 9948-7715 ou isabel.florencio@simconsultores.com

Muitas são as estratégias utilizadas pelas empresas em busca da melhoria da performance e dos resultados de seus profissionais e de seus negócios. A forte concorrência, a facilidade de acesso à informação, à tecnologia e ao crédito tem tornado produtos e negócios verdadeiros comodities, onde inovação, qualidade e preços competitivos são itens básicos esperados pelo consumidor.

Dentro desse panorama, o que realmente faz a diferença está dentro da própria empresa: “As Pessoas”. Muitas empresas têm descoberto no Marketing de Incentivo, ou Programas de Incentivo, uma forma de motivar e estimular seus funcionários a superarem seus resultados. Segundo uma pesquisa realizada pela AMPRO, Associação de Marketing Promocional, 68% das empresas já utilizam de alguma forma o Marketing de Incentivo, e os investimentos nessa ferramenta crescem a uma taxa de 16% ao ano.

Além de motivar e estimular a equipe, as vantagens que o Marketing de Incentivo apresenta são inúmeras, entre elas, ótimo retorno, baixo custo, baixo risco, resultado de curto prazo, e alto valor residual.

Como toda ação empresarial, deve ser bem estudada e planejada, sob o risco de não atingir os resultados esperados, ou ainda pior, arranhar a credibilidade da empresa, e desmotivar os envolvidos.

O sucesso do Programa de Incentivo começa no estabelecimento do Objetivo. Deve ser simples, claro, específico e mensurável. “Aumentar as vendas” não bastaria como objetivo. “Aumentar em 20% as vendas de perfumes masculinos no mês de março” é um objetivo que contribuirá para o sucesso do programa. Cada ramo de atividade possui seus índices de performance próprios, como cupom médio, taxa de conversão, número médio de itens por cupom, e com base neles devem ser definidos os objetivos.  É importante salientar também que o objetivo deve ser atingível, sob o risco de não ser “comprado” pela equipe.

Assim como numa promoção de vendas, o Programa de Incentivo deve ter uma mecânica. Mecânicas do tipo “Bateu-Levou” são as que têm maior aceitação. “A cada motocicleta 2006/2006 vendida, o vendedor ganha R$ 150,00 de bônus na hora” foi a mecânica do Programa “Na Boca do Caixa” lançada no início de 2007 com o objetivo de acabar com os estoques de motos do ano anterior. Nesse tipo de  mecânica o participante compete com ele mesmo, buscando superar sua própria performance. Mecânicas que estimulam a competição também geram bons resultados, porém é fundamental premiar não só o vencedor, mas pelo menos 30% dos participantes, evitando a desistência de alguns dos participantes ao longo do programa. Mecânicas que envolvam apenas sorteio não costumam gerar os melhores resultados, porém é uma boa opção como premiação adicional.

“Quando faltam máquinas, você pode comprar, se não tiver dinheiro, pode pedir emprestado. Mas homens você não pode comprar ou pedir emprestado. E homens motivados por uma ideia são a base do êxito.” Eggon João da Silva.

 As regras do Programa de Incentivo devem ser bem definidas para evitar conflitos e questionamentos. Regras para desempate, para desqualificação, para pagamento dos prêmios, cronograma, apuração dos dados, entre outras conforme o Programa, devem ser planejadas e comunicadas a todos os participantes. Uma grande indústria de bebidas realizou, anos atrás, um Programa de Incentivo Nacional que envolvia também o sorteio de casas, carros, motos e outros prêmios. Um vendedor foi sorteado com uma casa, porém não pode recebê-la pois pediu demissão alguns dias antes do sorteio.

Os prêmios devem ser coerentes com o público alvo, e atrativos o suficiente para que os participantes se sintam motivados a atingirem novos patamares de desempenho para conquistá-los. Os mais valorizados são dinheiro, viagens, e eletro-eletrônicos, e não se deve repetir a premiação em novos Programas. Um profissional de uma indústria catarinense me confessou que tinha três sanduicheiras em casa, todas recebidas como prêmio de Programas de Incentivo. A premiação já havia virado tema de piada entre os funcionários.

A comunicação do programa é essencial. O programa deve ter um nome simples e fácil como “Tô de Olho”, “Rumo às Estrelas”, “Essa é minha”, e um logotipo. Os participantes devem ser lembrados e estimulados a todo momento para que a motivação se mantenha em alta. Materiais de comunicação visual dentro da empresa ou do setor dos participantes, brindes, e-mails e mensagens por celular são boas opções para manter o Programa na lembrança das pessoas. Além disso, os participantes devem ser informados de seus resultados parciais ao menos uma vez por semana, através de relatórios e gráficos em murais ao acesso de todos.

Por todas as suas vantagens, a utilização de Programas de Incentivo nas empresas vem crescendo dia-a-dia.

É uma ferramenta de retorno garantido, não só no sentido financeiro, como motivacional, e no relacionamento empresa-funcionário, e se observados alguns detalhes como os vistos acima, os resultados serão ainda maiores.

Marcelo Dividino Bergamo.

“ Para construir uma reputação leva anos,

para derrubá-la basta alguns minutos.”

 A primeira letra do alfabeto, a primeira linha quando se faz pesquisa no Google, o primeiro nome que vem a mente quando as pessoas são questionadas. Acredito que seja essa a posição que a maioria dos profissionais gostaria de ter.

Ser um profissional de destaque em sua área de atuação, ter as melhores ofertas de trabalho, ser valorizado e receber de acordo com o seu valor profissional, ser chamado para falar, ser procurado para dar opinião e ajudar a resolver dificuldades, tirar dúvidas e ajudar a resolver problemas.

Pense você agora, se você fosse questionado sobre um profissional de gabarito que seja referência em sua área de atuação, quem seria e porque ele seria um profissional de destaque, de quem você falaria? Quem são as referências na sua área de atuação? Em quem você projeta a sua imagem profissional e busca modelos e caminhos para você mesmo se tornar uma referência.

O primeiro ponto a ser observado para que você possa responder e focar o tema é rever o que é referência para você. De alguma maneira você tem o desejo ou a vontade de se tornar o melhor na sua área de atuação, então a primeira coisa que precisa fazer é alinhar quais são os critérios pelos quais você busca referências quando precisa de algo, para então saber o que você valoriza.

O segundo ponto que deve ser considerado é checar o que verdadeiramente é referência no seu mercado de atuação. Este ponto ajuda a sair da entropia de achar que o seu quadro de critérios e valores são únicos.

O terceiro ponto a ser observado é quais as tendências para seu segmento de mercado. Como se você refletisse sobre o que existirá de novo daqui a um, três ou cinco anos na sua área de atuação.

Todas estas referências na verdade são para provocar a reflexão sobre o que você pretende fazer de sua carreira, quais as expectativas que tem para seu desenvolvimento e que trajetória quer fazer.

Poderia ainda perguntar de outra maneira para que faça mais sentido para você:

Por que você trabalha nessa área de atuação? Se as respostas forem por que você gosta do que faz, tem interesse em melhorar algo, porque quer criar algo novo ou porque acredita é o melhor que você pode fazer para chegar a onde quer, já estamos conversados.

Se as respostas estiverem mais ligadas a reflexões do tipo foi o que eu consegui, foi a faculdade que eu passei, foi o emprego que conseguiram para mim ou é um mercado que da dinheiro… Questiono até onde isso o levará e até onde essa atuação tem sustentação.

Claro que devemos descontar os extremos. Mas acredito que deve ser um mix entre ter prazer e resultado no que você faz. O brilho nos olhos precisa aparecer, a paixão ao defender uma idéia, a determinação e a persistência para lidar com os obstáculos que surgirem vai depender muito mais do quanto se gosta do que se faz do que somente o quanto se ganha com o que se faz.

Nesta questão em particular não existe certo ou errado tem somente quadros de referência sobre o assunto, por isso deixo as questões para você refletir e poder ver o que faz sentido.

Você já pensou sobre esta questão? O que se pode dizer a respeito?

 
Sandra EGF Bergamo.

  • 29
  • jul

  • 22
  • jul

Sua empresa tem metas, certo?

Todos na empresa sabem quais são elas?

Como está o comprometimento com o atingimento da meta?

 Independente do tamanho da sua empresa ou do ramo de negócios em que você atua, você e sua equipe precisam ter metas. Sem sombra de dúvida todas as empresas e equipes dedicam-se fortemente a fazer o melhor, esforçam-se ao máximo, sempre procurando melhorar seus resultados dia-a-dia. Mas, por incrível que pareça, nem todas as empresas estabelecem metas claras para sua empresa e suas equipes, em especial as micro e pequenas empresas, e as empresas familiares.

No filme “Alice no país das Maravilhas”, a personagem Alice pergunta ao Coelho “Qual caminho a seguir ?”, e ele pergunta a ela: “Para onde você quer ir?”. Ela responde: “Não sei”. E ele diz: “Então qualquer caminho serve!”

As metas são fundamentais para dar um norte à empresa, para a equipe e para o profissional. Quando se sabe exatamente aonde se quer chegar o caminho fica mais fácil e mais motivador.

Imagine você em férias, planejando sua viagem para a praia. Certamente você estará definindo qual praia você vai, qual hotel via ficar, que passeios fará que dia vai chegar e que dia voltará. É motivador, não é mesmo? E fica tudo mais fácil quando planejado e definido antecipadamente. Tudo isso são metas que você está planejando para suas férias. Você deve fazer o mesmo com sua equipe.

Assim como nas férias, onde você decide tudo em conjunto com sua família, amigos ou seu parceiro, as metas na empresa devem ser definidas com a participação de todos os envolvidos. Quando o profissional participa ativamente da discussão e da decisão das metas, tendo a oportunidade de expor sua opinião, o seu comprometimento com o resultado é sempre maior, já que ele participou e aceitou o desafio proposto.

Uma meta não deve ser determinada unicamente “de cima para baixo”, ou seja, do dirigente para os subordinados, sem qualquer negociação entre as partes. Um dos maiores riscos é a meta ser maior do que a equipe acredita que deva ser e não concordar com a ela. Embora não digam isso ao chefe, e como não acreditam que vão atingi-la, nem mesmo se esforçarão.

Uma meta boa é aquela onde a equipe acredita que vá alcançar. Mas não dê moleza, não pode ser fácil demais. Toda meta deve ser desafiadora, tem que exigir um esforço adicional e tirar a equipe da zona de conforto. Como diz Sun Tzu em seu centenário livro A Arte da Guerra:

Mire a Lua para acertar uma Águia,

“pois se você mirar uma Águia você pode acertar uma pedra.”

 

Ao estudar, planejar e definir as metas é necessário ter critérios bem definidos para servir como base para se chegar aos números finais. Uma meta sem referência é apenas um sonho, um desejo. Há empresas que definem suas metas com base no mesmo período, mês ou trimestre do ano anterior, apenas acrescentando um percentual de crescimento. Mas será que o mercado não mudou de um ano para o outro? Certamente a economia mudou, a concorrência mudou, a equipe mudou, a empresa mudou. Outras empresas utilizam apenas o mês anterior como referência, também agregando o percentual de crescimento desejado, e isto também não é o suficiente. Ao longo do ano, todo ramo de atividade tem sua sazonalidade e particularidades. Natal, inverno, dia das mães, férias, feiras anuais do setor, são apenas alguns exemplos que fazem com que certos períodos sejam únicos ao longo do ano.

Dessa forma utilizar apenas um critério para definição da meta é insuficiente, e normalmente não retrata a realidade, nem serve de referência atualizada. Então deve-se levar em conta diversos critérios, entre eles o resultado do mesmo período no ano anterior e do mês anterior sim, e também as previsões econômicas, a situação dos concorrentes, a realidade da equipe, a capacidade de entrega da empresa, e época do ano, e outros que julgar pertinentes.

E quais os tipos de metas você utiliza? Apenas faturamento? Será que é só isso que é importante para sua empresa? E como você divide as metas entre sua equipe? De forma igual para todos? Ou utiliza critérios como experiência, região, entre outros?

Bem, mas isso fica para um próximo artigo.

Paz e Sucesso.

Marcelo Bergamo

  • 15
  • jul

Na semana passada aconteceu mais uma turma do “Treinamento Intensivo em Vendas”, apresentado pelo nosso Sócio Diretor e Consultor Marcelo D. Bergamo, dessa vez na AJORPEME em Joinville.

É a sexta turma aberta esse ano, e teve a participação de 26 profissionais, de 15 empresas diferentes como Malharia Princesa, KLD Automação Comercial, Industrial Cabos, Expoville, Furgões Joinville, entre outras. A avaliação feita pelos participantes foi motivo de orgulho para nós. Abaixo alguns depoimentos:

“Achei o Marcelo um excelente palestrante. Fala em uma linguagem muito clara e descontraída, passou grandes dicas para melhorar a desenvoltura em vendas e com certeza somar resultados.”

“Mostra o domínio das técnicas de vendas e sabe passar isso aos alunos de uma forma inteligente e dinâmica.”

“Gostei muito da didática, comprometimento com horário, material oferecido, conteúdo do curso e sua aplicabilidade no nosso dia a dia.”

“Muito bom, produtivo, empolgante, aprendi várias técnicas com  o curso, Marcelo foi muito bem, sabe o que faz!”

Essa semana, de 15 a 18 de Julho, acontece uma nova turma na APEVI em Jaraguá do Sul.

Em Setembro, nos dias 02 a 05, já está programada mais uma turma aberta, novamente na APEVI em Jaraguá do Sul.

Inscrições através do email capacitacao@apevi.com.br, ou pelo fone 47 3275 7024, com Vivian.

 

  • 3
  • mai

“Um novo modo de pensar e viver não vem de graça.

Ele tem um grande valor e só pode ser adquirido com grande esforço e paciência”

Dostoievsky

Carreira é um tema sempre intrigante e abrangente. Podemos perguntar a várias pessoas como foi que fizeram para chegar onde estão.  Este é o ponto que ela sonhou para si? Ao ouvir a história de cada uma encontraremos trajetórias  de caminhos, valores morais , formações acadêmicas diferentes que levaram a pessoa questionada ao sucesso.

Algumas pessoas encontram seu caminho mais facilmente que outras. A pergunta que fica é: o que estas pessoas podem ter  em comum para terem chegado onde pretendiam?

Receita de bolo para o sucesso? Não acredito nisso. Existem exemplos,  mas cada um tem uma história pessoal que fará de seu caminho único e diferente de todos os outros. Por isso acredito que cada um tem um potencial único e singular para explorar dentro de si,  e tomando consciência de si mesmo e de seus sonhos achará o caminho para chegar lá.

Alguns ingredientes podem ser usados para fazer a sua própria receita de Sucesso.  Seguem  alguns deles para facilitar.

Reconhecer seu momento atual – muitas vezes se pensa que o seu  trabalho atual não é o que vale a pena, e que outro onde fosse mais reconhecido seria melhor.  Este tipo de pensamento causa desgaste, tira sua energia e sua produtividade.  Mas se em vez disso você pensar: – Este emprego é o melhor que posso ter no momento e é uma ponte para chegar no futuro que almejo, ficará mais leve e bem mais fácil reconhecer  que onde esta é o primeiro passo para poder pensar no futuro.

Desenhar e idealizar o Futuro -  Comece a construir , a criar a imagem do que você quer. Ouse!  Pergunte-se:  Por que não? Na imaginação tudo pode. Leve em consideração o que você realmente gosta de fazer, não esqueça de seu perfil, pesquise e converse com quem já realiza a atividade ou a carreira que você imagina, pergunte como foi o caminho. Quais as dificuldades e quais as facilidades que se teve?  O que a pessoa faria diferente se tivesse que trilhar o caminho até lá? Imaginar o que se almeja prepara a mente, o sentimento e corpo para a ação.

Construa a sua Ponte -  O que você conquistou até aqui é que faz de você quem você é. Essa é a sua porta de entrada, seu passe para onde você quer  ir. Sua ponte para esse outro destino almejado. Então para chegar  ao novo destino você precisa de um bom mapa, uma bússola, e equipamento adequado. Quais são eles? O que você já tem hoje? Quanto tempo vai levar para você adquirir os novos conhecimentos e competências que precisa? Qual seriam os caminhos e novos desafios que gerarão a experiência e a maturidade necessária para atingir a carreira que você almeja? Explore o tema, faça um plano de ação, crie metas e  objetivos , estipule prazos, levante custos. Principalmente trabalhe com a realidade para estar sempre superando e conquistando resultados tangíveis e concretos.Um passo de cada vez.

Mãos na massa – Coloque-se em movimento. Conte para as pessoas. Mantenha-se conectado com outras pessoas que almejam a mesma coisa que você. Compartilhe sucesso. M as principalmente os fracassos,  para poder fazer mudanças de rota e ver o que poderia ser feito de diferente. Tudo na vida requer esforço e dedicação. A vitória é muito mais saborosa quando vem por que fizemos por ela e alcançamos os nossos objetivos sejam eles quais forem.

Compromisso com a vitória -  Dar foco e ter a determinação para ir além. Superar as dificuldades do caminho, ter flexibilidade para lidar com os obstáculos, resiliência para voltar para o trajeto, e acima de tudo paciência consigo mesmo para lidar com seus erros e dificuldades. Para ganhar uma maratona, o esportista precisa treinar muito e trabalhar duro. O principal objetivo, como o de um atleta, deve ser superar seu próprio tempo, e se reinventar sempre.

Se você quer fazer uma carreira de sucesso leva tempo, precisa de planejamento, pesquisa, foco , dedicação e muito mas muito trabalho. Começa por você se conhecer, saber seus pontos fortes e os pontos a desenvolver. Exige franqueza consigo mesmo. Experimentar, testar, insistir e ousar para fazer a diferença.

Ninguém nasce grande, tudo tem um tempo para se desenvolver, a natureza é assim, podemos acelerá-la se focarmos e nos dedicarmos.

Agora não se esqueça  de um ingrediente muito  importante: tenha sempre onde renovar a suas energias para seguir o seu caminho. Busque aliados, amigos, faça esportes, tenha lazer. A vida é feita do aqui e agora. O passado serve para nos dar exemplos,  lembrar do que temos que cuidar,  e o futuro vai depender do que você fizer hoje.

Então o que você está esperando? Não deixe para amanhã, você pode começar agora!

Mãos na massa e boa sorte!!!

 

Sandra G Bergamo

Coach

SIM Consultores

  • 18
  • fev

A SIM consultores realizou nos dias 28, 29 e 30 de janeiro, o Treinamento Intensivo em Vendas, no auditório da Associação das Micro e Pequenas Empresas do Vale do Itapocu – APEVI, em Jaraguá do Sul. Marcelo Bergamo, “o cara do marketing” da SIM, conduziu o treinamento para 33 pessoas, de diversas empresas da região, como a Lunender, Marisol, Metalnox e Vitrine Serviços de Apoio.

O objetivo do treinamento foi oferecer aos participantes técnicas, ferramentas e estratégias de vendas, comprovadamente eficazes, através de uma metodologia dinâmica, atual e com aplicação na prática. Atendendo ainda, as necessidades organizacionais na busca de se adequar às exigências do mercado, que a cada dia está mais exigente e em constante mudança.

Na avaliação dos participantes, o treinamento superou as expectativas. Alguns pontos fortes mencionados foram: a dinâmica de integração do grupo, que facilitou o entendimento; o domínio do conteúdo apresentado pelo instrutor e a conexão com a realidade.

Muitas pessoas se interessaram em participar do treinamento, assim, já abrimos uma nova turma para os dias 27 e 28 de fevereiro.

O que você está esperando? Entre em contato e participe!

Algumas pessoas defendem que o ano só começa mesmo depois do Carnaval. Para outros, o novo ciclo dá as caras já com um ritmo acelerado de trabalho. Controvérsias a parte, para a SIM o ano já começou com tudo e nosso plano para 2013 é manter o foco: continuar trabalhando fortemente no desenvolvimento de pessoas, grupos e organizações, através de coaching e programas de desenvolvimento.

Nossa missão é sempre facilitar o processo para que as pessoas e organizações se desenvolvam e tenham o melhor resultado. Essa não é uma tarefa simples. Portanto, continuamos investindo em formações que possibilitem a nossa atualização e aprimoramento.

Neste ano, já temos programadas oito turmas para o Programa Práticas da Liderança na WEG, coachings individuais, a facilitação em um processo de revisão e elaboração do procedimento para graduação de empresas na Softville (conforme práticas sugerida no Cerne) e diversas turmas  de cursos em Marketing, Vendas e Gestão de Vendas.

Os desafios incitam um constante processo de mudanças e crescimento. Para nós, o maior deles esse ano é a elaboração do nosso primeiro livro – um de muitos que ainda virão. O livro tem como tema central o desenvolvimento de lideranças na prática.

Logo, logo você poderá conferir e nos dar a sua opinião.